23 de dezembro de 2011

Que se lixe o Natal...

Para muitos não é novidade que há muito me passo com esta coisa "do Natal". As pessoas ficam loucas numa azáfama tremenda para a compra dos presentes, as lojas enchem-se, gastam-se rios de dinheiro, os encontrões e indelicadezas sucedem-se, os parques de estacionamento dos centros comerciais entopem, as ruas das zonas de comércio tradicional param, os miúdos entram numa escalada de ansiedade que os deixa insuportáveis até abrirem os presentes. A juntar a tudo isto não acredito no Pai Natal (já há algum tempo!), não sou católico, não acredito em Deus (mas conheço dEUS), nem nessas histórias que nos contam desde pequenos da estrelinha e dos reis Magos a percorrer o deserto em cima de camelos para visitar o menino Jesus que acabou de nascer. Sou assumidamente um ateísta agnóstico, nada a fazer. Com tudo isto não consigo ficar entusiasmado com o tal "espírito" natalício...
Gosto da reunião familiar, tradicional desta época, mas sinceramente não preciso do Natal para isso. Reuniões familiares este ano tive algumas e bem participadas, com motivos bem mais atractivos (para mim) do que o Natal.
Ainda assim, e porque tenho lá em casa uma criança que me "obriga" a cumprir estas tradições culturais e também porque respeito os apreciadores da quadra natalícia, espero que os meus amigos se divirtam nesta época fazendo votos de um excelente 2012 pleno de saúde e prosperidade.

Para os outros que partilham da minha opinião, aqui fica o meu presente


3 de dezembro de 2011

Vai ser dia de inauguração!

Foi no arranque deste milénio que um grupo de apaixonados por 2cv criou o Núcleo 2cv Lisboa, um clube dedicado ao Citroën 2cv que tinha por intuito dinamizar as actividades de 2cv na capital. Aos poucos, e de forma sustentada, o clube foi crescendo com o seu dinamismo e reconhecimento tendo sempre por base os eventos 2cv. Nunca foi fácil dinamizar um clube deste tipo na cidade capital mas com imaginação e boa vontade de todos os intervenientes o clube nunca parou as suas actividades. As limitações e entraves municipais têm vindo a ser cada vez maiores, mas apesar das diversas contrariedades ainda se vão conseguindo colocar "lanças na capital". Há 3 anos atrás deu-se um passo importante que consistiu na formalização de um pedido à CML para a obtenção de um espaço físico para este clube que conta já com 11 anos de existência e vitalidade.
Reconheço não conseguir esconder a minha satisfação quando neste meu trajecto na vida interna do clube vejo, finalmente, o alcançar de um desejo antigo: ter uma sede social onde podemos receber os nossos associados e amigos, onde podemos trabalhar (sim, é quase como ter um segundo emprego) nos projectos e ideias que desenvolvemos para os nossos associados.
No próximo dia 10 de Dezembro, tudo isto vai ser tornado realidade. Com esta nova realidade chegam também novas responsabilidades, novos compromissos e uma nova projecção para este clube. Estou certo que agora e no futuro, todos os que fazem parte do N2cvL saberão valorizar e proteger este "prémio" conquistado com o empenho e dedicação de todos os que fizeram e fazem parte da história deste clube.

24 de novembro de 2011

Não há greve!!

É um facto consumado: por mais que quisesse o meu patrão não me "deixava" fazer greve. É que esta dualidade de ser patrão e empregado é tramada.
Fora de brincadeiras, hoje reflecti sobre esta acção de greve geral que, em grande parte, teve uma participação mais evidente dos funcionários públicos e das empresas públicas e questiono-me se nos dias que correm este tipo de greve faz sentido.
Não sou contra o direito à greve como forma de manifestação e de reclamação de melhores direitos laborais, nada disso. O que me pergunto é se esta coisa da greve em que muitos aproveitam para ficar em casa a descansar ou ir para o centro comercial queimar (ainda) mais o crédito, mas despachar já algumas prendas de Natal dá em alguma coisa. Será mesmo que faz acordar as mentes há tanto tempo adormecidas neste país?
Não seria muito mais marcante, penalizador (para as empresas) e, até se quiserem, mais edificante (para os trabalhadores) ir trabalhar, mas não cobrar pelos serviços prestados? Eu explico, os transportes estariam a funcionar gratuitamente, os serviços seriam prestados a custo zero, os trabalhadores iriam trabalhar sem picar o ponto e por aí adiante...
Nesse caso, uma greve assim iria realmente afectar a estrutura da empresa e deixar os responsáveis a pensar. Se calhar vão chamar-me um reaccionário fascizóide ou outra coisa igualmente bonita, por pensar desta forma, mas para mim uma greve de paralisação nos tempos modernos limita-se a ter mais mediatismo na comunicação social do que a surtir qualquer efeito real.
O meu patrão aposta mais numa maior produtividade e melhor qualidade do trabalho/serviço prestado e eu sou "obrigado" a concordar com ele.

18 de novembro de 2011

Já faltam cadeiras...

Hoje o imaginário infantil está populado de personagens que não fazem parte da minha infância, mas é melhor assim. É deixá-los ser crianças e viver na fantasia enquanto podem. A nova personagem a entrar lá em casa foi a "Fada dos dentes" esse generoso e endinheirado ser fantástico que tem a capacidade de recompensar as crianças do mundo desenvolvido (assim lhe chamam) por cada dente que se renova. Um aspecto positivo: o trauma da cadeira de dentista parece ter ficado solucionado, com direito a receber um baú especial para guardar o dente e tudo. A emoção da espera pelo presente da fada foi tal que teve um sono tão leve que não deixava o "elfo" lá de casa aproximar-se da cama durante a noite. Depois a coisa lá se resolveu de manhã com as "papas e bolos" que enganam os mais pequenos. Mas não pensem que o aspecto estético foi descurado, tanto que a B. se fez logo por justificar: "a boca está diferente, mas o sorriso é o mesmo". Felizmente, nem a falta de um dente lhe tira a alegria.


11 de novembro de 2011

Amanhã vai haver castanhada...

Há muito, muito tempo atrás o Martinho armou-se em altruísta e decidiu cortar metade da capa para dar a um mendigo regelado.
À conta disso, virou a meteorologia do avesso, começaram a chamar-lhe santo e passou a incitar a malta a comer castanhas e a beber água-pé e jeropiga, por esta altura (cá para mim, o Martinho era um grande borgas...).
Como a tradição já não é o que era, e a malta do N2cvL gosta de contrariar, continua a festejar o dia de São Martinho, todos os anos num local diferente, consoante as origens do sortudo (ou não) que o sorteio decide escolher para atribuir o assador de castanhas e com isso a organização do evento no ano seguinte.
Este ano vamos para Leiria. Quem quiser passar um dia animado, pode juntar-se a nós. Garantimos que não cortamos capotas para tapar carros esburacados, mas prometemos boa comida, castanha e água-pé da melhor, tudo misturado com boa disposição, brincadeiras e sorteios.

31 de outubro de 2011

Noite das Abóboras


Confesso desde já que não sou adepto destas festividades americanoides, como o Dia de S. Valentim ou o Dia das Bruxas. Cá deste lado, temos o Carnaval que é o mais parecido (antes da moda daquela coisa arraçada de samba dançado em biquini com 12ºC) e nem a esse acho piada, mas é certo que a coisa tem ganho popularidade. À semelhança do que acontece no movimento das duas rodas por esse mundo fora, têm sido feitos alguns passeios sob a temática Halloween e a Matilha Cycle Crew, agarrou muito bem a ideia. 
A intenção é ir pedalar à noite, percorrendo as ruas, "vestido" a rigor, como um típico morto-vivo, uma bruxa ou um vampiro, sem pedinchar doces mas quem sabe fazendo algumas travessuras.
Por isso já sabem, se esta noite virem um grupo de gente a pedalar pelas ruas de Lisboa vestidos mais ou menos assim...


não se assustem, não estão a ter um pesadelo, nem vão entrar num filme de terror é a malta a festejar o Dia das Bruxas em cima de uma bicicleta.

29 de outubro de 2011

Não foi por magia...

Apanhei este vídeo aqui e foi engraçado descobrir que o que se passa hoje nas vias rodoviárias do nosso país já acontecera também naquela que, hoje, é uma das cidades mais cicláveis do mundo (é verdade que mais plano é impossível, mas pronto!). Filas intermináveis de trânsito já temos, más condições rodoviárias também, combustíveis a preços proibitivos, tal e qual como foi durante a crise petrolífera. Então, estão à espera de quê? Andem mais de bicicleta, não custa nada e quantos mais formos, maior atenção teremos!

28 de outubro de 2011

Passeio à terra deles

Ele há malta que gosta de passear e depois há aqueles que gostam de passear para longe com carros lentos. Eu encaixo nesta última categoria. A distância não é uma volta ao mundo mas ir até Louredo, lá no norte de Portugal, ao volante de um 2cv dá direito a umas valentes horas de condução. Contudo, o objectivo é conviver com amigos que já não vemos há algum tempo e participar no evento organizado por uns amigos que associam sempre o 2cv a um movimento solidário. Este ano, levamos tampas de plástico para ajudar o Tomás, um menino que precisa de uma prótese mioeléctrica (não façam essa cara e acedam ao link). Prometo publicar algumas imagens quando regressar.

24 de outubro de 2011

Nova temporada

Parece que o Verão lá acabou (ou não), mas ontem foi, decididamente, a abertura oficial da "Temporada dos Bate-chapa". Não havia estrada que não tivesse carro batido, despistado ou rebocado. Há quem diga que a culpa é da chuva, que faz encolher os carros, eu digo que a culpa é toda dos condutores. Felizes dos bate-chapa, que não vão ter mãos a medir nos próximos dias. Hoje, tempo ameno, uns borrifos de vez em quando. Isto está a virar. Para contrariar a tendência, vou a acelerar para casa para ir pedalar um bocadinho antes que venha mais uma tempestade tropical.

14 de outubro de 2011

Fixação em Corrida de Gatos Vadios

Com este título é impossível não sentir curiosidade sobre o restante texto... Contudo, os que me conhecem melhor sabem que esta mente tradutora está sempre a fazer estes jogos de palavras de expressões subvertidas para Português. Mas não se assustem, aqui não há nem obsessões, nem animais maltratados.
Tudo isto serve para divulgar mais uma Alley Cat Race, que se vai realizar em Lisboa já no próximo Sábado, organizada pela Matilha Cycle Crew, um grupo de malta muito boa onda que tem desenvolvido coisas bem interessantes na cidade que (os mais teimosos) dizem ser pouco ciclável.
Antes da corrida, haverá lugar para a exibição do filme Fixation, um documentário que faz um retrato da cultura das duas rodas nas cidades, utilizando bicicletas de uma velocidade de carreto livre ou fixo.
O epicentro de tudo isto vai ser no Clara Clara Café, e a entrada será livre tanto para a exibição como para a participação na prova nocturna, a partir das 23h, com o apoio da Roda Gira, BinaClínica e Loja das Bikes.
Um convite irrecusável para quem gosta de pedalar com ou sem mudanças.

13 de outubro de 2011

Tele-transporte olfactivo

A ideia pode parecer estranha, mas acaba por não ser muito diferente daquilo que acontece quando se ouve determinada música (isso também é um bom assunto) ou quando se vê determinada imagem. Afinal de contas é apenas mais uma consequência sensorial que surge, muitas vezes, de forma inesperada.
Certamente que com estas coisas de compra e venda das casas devo ter vizinhos novos no prédio ou nos prédios envolventes. Até aí nada de novo. O que acontece é que desde há cerca de uma semana para esta data, e com o calor que se tem sentido (estamos em Outubro e estão 26º às 10 da noite...), as janelas de casa passam mais tempo abertas e quando se aproxima a hora do jantar começo a sentir um agradável aroma a comida, que numa circunstância diferente deixar-me-ia incomodado, mas neste caso acaba por ser muito agradável. Eu safo-me bem a cozinhar, modéstia à parte, por isso não é aí que reside o encanto desta invasão de cheiros. O que acontece de maravilhoso com esta suspensão de aromas é que consigo transportar-me imediatamente para os cheiros dos bares e restaurantes de Bilbau, sem tirar nem por! Naqueles instantes sinto o movimento das pessoas, a agitação no balcão, o constante vociferar dos empregados que repetem os pedidos a plenos pulmões e também sinto saudades dos amigos que estão longe. Ainda não consegui perceber se é o tipo de azeite, se é dos ingredientes que utiliza e das comidas que prepara, só tenho a certeza de uma coisa: enquanto estão a cozinhar passo imediatamente a estar na minha "segunda casa". Espero que amanhã voltemos a preparar o jantar à mesma hora.

27 de setembro de 2011

A revelação!

É surpreendente que tenha sido necessário esperar tanto tempo para compreender determinadas reacções humanas. Não há dúvida que no universo masculino vs. feminino existem comportamentos aparentemente inexplicáveis para as duas facções e não há nada a fazer quanto a isso: são comportamentos (aparentemente) inatos!
Tal como fiquei surpreendido pela primeira vez que vi a minha filha, que mal sabia andar, a colocar a mala de brincar no braço, como faz qualquer mulher adulta, hoje tive, finalmente, o esclarecimento sobre uma questão que suscita desde sempre tantas questões e divagações no universo masculino.
Afinal, "Porque vão sempre (pelo menos) duas mulheres à casa de banho ao mesmo tempo?"
Esta pergunta que se coloca, alguma vez na vida, a todos os homens, apresenta uma simples resposta. E quem o diz é uma criança de 6 anos que, sem ser confrontada com a pergunta, na sua inocência, revelou o segredo mais bem guardado das mulheres até ao dia de hoje.
"Pai, hoje quando fui à casa de banho a minha amiga foi comigo. Assim, se não houvesse papel ela podia ir chamar a auxiliar à sala."
Haverá explicação mais evidente!?

13 de setembro de 2011

Relatório de um dia inútil

Viagem de bicicleta para o trabalho :)
Encontro fortuito com um parceiro de pedalada :)
Pausa de 5 min. para conversa :)
De volta ao percurso, carro veloz e estrada esburacada resulta em furo nos dois pneus :(
Resto do percurso a pé até ao trabalho :(
Computador continua todo baralhado somando 12h sem permitir aceder ao email, sem justificação plausível :|
Boleia até casa para ir buscar o carro ;)
Regresso ao trabalho com computador a dar sinais de recuperação :)
Massacre de perguntas ao informático :/
Despachar as tarefas atrasadas e organizar as pendentes :S
Empurrar bicicleta até ao carro :(
Comprar câmaras de ar novas :)
Trânsito lento para a oficina :(
Reparar a bicicleta de graça :)
Voltar a casa de carro :( 
Há dias que parecem não ter servido para nada de jeito...

Bike Papper 2011


Realiza-se no dia 18 de Setembro, a terceira edição do Bike Papper 2011, na freguesia de S. Domingos de Benfica. Esta prova a decorrer na semana europeia da mobilidade, tem como objectivo proporcionar uma manhã de domingo bem passada, combinando  momentos de actividade física e convívio entre os participantes.
Os participantes irão percorrer de bicicleta a freguesia de S. Domingos de Benfica, num trajecto, essencialmente plano, desenhado para toda a família do 0 aos 100 anos, com uma duração aproximada de 2 horas e com um grau de dificuldade técnica e física baixo. No decorrer da prova, os participantes terão que decifrar os mais variados e divertidos enigmas, nunca esquecendo os desafios surpresa que vão influenciar a pontuação final.
Utilizando as ciclovias existentes na zona de São Domingos de Benfica, pretende-se incentivar o uso da bicicleta dentro da cidade, promovendo assim este meio de transporte 100% amigo do ambiente.
No final será servida uma refeição ligeira antes da entrega dos prémios, proporcionando mais um momento de convívio entre os participantes.
Mais informações em www.bikepapper.com

1 de setembro de 2011

Cycle Brunch


Basta haver vontade e adesão para as coisas acontecerem, por isso a malta da Matilha Cycle Crew que desenvolve iniciativas para promover a utilização da bicicleta em Lisboa decidiu, e muito bem, arrancar com o primeiro Cycle Brunch em Lisboa, já no próximo domingo (4 Set.), no Jardim da Estrela.
E o que é isto de cycle brunch?
Basicamente, a ideia é realizar um pequeno-almoço a cair para a hora de almoço em que cada um leva a sua especialidade gastronómica e uma bebida para partilhar com os restantes participantes. A deslocação até ao local, como é normal, deve privilegiar a utilização da bicicleta, pois a finalidade é conviver com outras pessoas que também gostam das duas rodas.
O evento está marcado para as 11h, mas vai haver ponto de encontro no Cais do Sodré às 10.30h. Sem dúvida, uma ideia original para um domingo diferente.
Neste momento, e apenas com uma semana de divulgação, esperam-se já cerca de 70 participantes. Se as condições do tempo ajudarem prevê-se uma invasão de bicicletas no Jardim da Estrela.
E quem não tiver bicicleta, não tem desculpa. Pode alugar uma através de uma parceria realizada para o evento. Todas as informações aqui!

31 de agosto de 2011

Habemus Bicicletam!

Finalmente!!!! Após um (demasiado) longo ano para algo aparentemente tão simples, a minha Órbita de estrada adquirida em (vigésima-)segunda mão ficou transformada numa "fixed". Basicamente, este termo representa a essência dos componentes da bicicleta: rodas, pedais e força motriz para avançar e parar através da utilização de um carreto fixo. Nada de mudanças, nada de cabos, nada de travões (por enquanto mantenho apenas o dianteiro)!
Cheguei ontem a casa com os componentes mais complicados devidamente instalados por especialistas e depois foi só montar selim e pedais. Dei duas voltas ao quarteirão para confirmar que estava tudo bem instalado para hoje vir trabalhar de bicicleta. Pude ainda comprovar que a P.D.I. pede também uma relação mais leve para enfrentar as subidas e as travagens, mas esse é um problema de fácil resolução. Agora vai ser readaptar as "canetas" e a cabeça para esta forma diferente de pedalar e esperar que no dia 18 de Setembro esteja afinado para realizar o III Bike Papper de Lisboa com uma bicicleta de carreto fixo.

26 de agosto de 2011

Steve Ray Vaughan

Foi no dia 26 de Agosto de 1990 que "SRV" realizou o seu último concerto, integrado na digressão "In Step Tour", que teve nesta noite a participação de convidados de peso como Eric Clapton, Buddy Guy, Robert Cray e Jimmie Vaughan. Após o concerto, um acidente de helicóptero, resultante do nevoeiro e da inexperiência do piloto, terminava a carreira de um dos mais virtuosos guitarristas de blues-rock de sempre.

10 de agosto de 2011

Ossos do ofício

Diariamente, recebo no e-mail profissional propostas de colaboradores que pretendem trabalhar com a minha empresa em regime de tele-trabalho. Claro que em todas estas mensagens se apanham textos bem escritos, textos cheios de erros ortográficos (esses morrem logo na praia) e outros que tentam ser inovadores ou mais inventivos nos textos de apresentação: umas vezes até resulta bem, na maioria das ocasiões nem por isso.
Adiante, hoje chegou mais um desses emails, oriundo da Ásia, China mais propriamente, muito profissional, bem elaborado e com boas referências. A pièce de résistance é a nota no final do email:
"ALWAYS deliver QUALITY translation ON TIME.
ALWAYS reply Emails WITHIN 20 minutes except sleeping time. (2.AM-3.PM GMT)"
Ou seja: basicamente, alerta para o facto de não responder ao e-mails enquanto dorme (coisa que também não consigo fazer), e depois afirma dormir 13 horas por dia! (outro feito muito longe de poder alcançar). Cada vez me convenço mais que esta malta da tradução tem cada mania...

5 de agosto de 2011

O Lendário Homem-Tigre

O nosso bluesman ontem "rebentou" com o Casino Estoril. Grandes malhas a provar que também se toca blues rock à séria cá deste lado do Oceano. Num espaço demasiado arrumado para o tipo de espectáculo, o Paulo Furtado quebrou a barreira de seguranças e decidiu tocar algumas músicas no meio do público. "The saddest thing to say" é que soube a pouco.


3 de agosto de 2011

Silly season

Quem imaginaria que um dia tão farrusco com o de hoje se iria tornar num fim de tarde tão animado!? Eu não imaginava e confesso que estes improvisos de juntar os amigos, comer uns petiscos e rir à parva é impagável, pena é ter de levantar cedo no dia seguinte... Pessoal, é para repetir, ouviram!?

23 de julho de 2011

Mudar de Bina

Podem ser decisões difíceis, mas no meu caso foi tudo simplificado pelos piores motivos. Depois de me roubarem a "bina" de BTT, optei por recuperar uma bicicleta de estrada e transformá-la numa bicicleta mais simples e mais urbana. Por diversos motivos, este projecto já dura há quase 1 ano, mais do que mudar de bina, quero a minha bina pronta e a rolar!




Hoje vou fazer uma visita à loja para saber o ponto da situação, enquanto isso que venha a (excelente) música do Norberto Lobo para acalmar o espírito.

19 de julho de 2011

Al(ô)é Vera!?

No aniversário da B., recebemos uma prenda muito original da prima S. que consiste em nada mais, nada menos, do que uma Casa Verde (o taralhoco do tradutor não sabia que Greenhouse era estufa em Português) de Aloé Vera. Além de ser giro e ter mil e uma propriedades medicinais, etc., o outro lado interessante da prenda é que são os miúdos que plantam o cacto. A estufa vem "equipada" com terra adequada, gravilha, sementes (mesmo minúsculas) e uma tampa hermética para criar o efeito estufa. Assim de repente, parece não passar de uma caixa de plástico com terra e pedrinhas, e dizem que é preciso esperar umas 4 semanas para que se vislumbrem os primeiros rebentos, mas foi mais rápido.

O entusiasmo da miúda cá de casa é mais do que muito, mas isto também é uma boa forma de ela aprender a controlar a ansiedade do imediato e a responsabilizar-se pela sua planta. Basicamente: didáctico em todos os sentidos.

18 de julho de 2011

Em completo (des)acordo ortográfico

Para que não restem dúvidas, também pertenço à imensa minoria que está em completo desacordo com o Acordo Ortográfico (AO), ainda me chateia mais porque trabalho diariamente com palavras e sempre que surgem trabalhos em que é necessário aplicar o AO, reparo que confirmo mil e uma palavras e que se despende um tempo tremendo com uma medida que (para mim) não tem qualquer sentido. Depois há outra questão interessante, se basicamente o AO limita-se a eliminar as consoantes mudas, eu pergunto então o que vamos fazer com as desgraçadas das vogais. Num mundo que repudia a discriminação, seja no que for, porque discriminaram as vogais mudas deste "brilhante" (estou a ser irónico) AO!? O desafio era muito mais interessante se as vogais mudas também desaparecessem. Assim, passávamos directamente para a escrita SMS e os putos não tinham tantas negativas a Língua Portuguesa como aconteceu este ano. "Qe discriminação será esta qe temos oje entre consoantes em que as vogais são exeção!?"
Se houver um linguista a ler isto de certeza que me vai fazer uma espera.

(este texto não foi escrito ao abrigo do Acordo Ortográfico)

13 de julho de 2011

Torga vs. Hemingway

Foto Josemi Robador

Amanhã acabam as festas de San Fermin, em Pamplona. Do que vivenciei das festas populares espanholas, é incontornável reconhecer que é das festas mais marcantes, mais conhecidas em todo o mundo e mais procurada por pessoas de todas as nacionalidades. Os motivos são diversos, entre o religioso e o pagão, são sete dias em que a pequena cidade de Pamplona não dorme e vive apenas para as festas do santo patrono. Como é tradição, todos os dias às 8:15 tem início o encierro, ou largada de touros feita nas ruas da cidade. Ao contrário do que é comum pensar, muitos são os que aguardam todo o ano para poder correr as ruas pelas manhãs e (muito) poucos são os ébrios que conseguem furar o cordão de segurança montado para evitar acidentes que podem ser fatais. Geralmente, aos domingos, é a ganadaria Miura que persegue os bravos corredores que transferem toda a adrenalina para as pernas que os mantêm à frente do bando de potentes animais que os perseguem. Em Espanha, os Miura são afamados de nobres e menos perigosos levando-me sempre a pensar no conto de Miguel Torga que retrata o momento da lide de um touro que é ludibriado pela capa e castigado pelas farpas até encontrar a morte na arena. Este conto marcou-me bastante quando o li pela primeira vez, o que certamente contribuiu para reforçar a minha reprovação pela tourada. Numa outra perspectiva, e quem sabe inspirado por algumas passagens do livro "Fiesta" de Hemingway, nas manhãs de Pamplona sinto que o pulsar daqueles que desafiam estes animais é de bravura, destreza, concentração, agilidade. O seu objectivo é correr à frente do touro, superar a sua força bruta, "armados" apenas com um jornal enrolado na mão que não serve para mais do que controlar a distância a que o touro se encontra enquanto devoram metros sem desviarem o olhar do que se passa à sua frente. Já vi esta corrida empolgante bem de perto e é impossível ficar indiferente ao ambiente que se vive. No passado Domingo, a corrida dos Miura foi rápida, tensa e com mais de uma dezena de feridos resultantes de quedas. Todos acabaram a largada vivos e confiantes para o desafio do dia seguinte, infelizmente, outros vão ter um final bem diferente antes de o sol cair na arena de Pamplona.

7 de julho de 2011

Finalista!

É sem dúvida estranho atribuir o "grau" de finalista a uma criança de 6 anos, mas não restam dúvidas que se fechou um ciclo com a conclusão do pré-escolar. Para o ano, ou seja, já em Setembro, a conversa é outra e às letras e números juntam-se as frases e os cálculos mais complexos. Esta primeira meia-dúzia de anos foram excelentes e até eu vou ter saudades daquela escola, mas novas experiências chamam pela B. para um novo ciclo de 4 anos que espero, no mínimo, com igual sucesso.
Viva a minha finalista de palmo e meio!

6 de julho de 2011

Socorro!!

Não se preocupem, não estou enrascado. Pelo contrário, depois do curso de Socorrismo até já estou até mais à vontade para ajudar alguém que tenha um fanico. Há tanta preocupação em ensinar tantas coisas, muitas vezes inúteis, quando estamos na escola que me pergunto porque não faz parte do curriculum escolar ensinar as técnicas básicas de socorrismo. Não é nada do outro mundo e pode mesmo ajudar a salvar alguém. É assim que nos apercebemos que ainda estamos muito longe da escala educativa de outros países. De qualquer forma, mesmo depois de ter aprendido a fazer massagem cardíaca e mais umas coisas de grande utilidade, não deixarei de esquecer a regra de ouro: a primeira coisa a fazer em situação de emergência é contactar o 112.

3 de julho de 2011

Mini-Santos Populares (parte 2/2)

E como é tradição, não há marchas sem arraial e foi mesmo isso que a escola preparou: um arraial popular. Havia de tudo. Desde caldo verde a sardinhas, febras a doces e até rifas, não faltava nada. E como é típico em qualquer arraial também era preciso ter alguma paciência para superar as filas de espera e para conseguir uma mesa, mas o importante é entrar no ambiente da festa. E o ambiente também estava criado: da música às decorações típicas dos arraiais e muitas brincadeiras para os miúdos, por uma noite a escola transformou-se num pátio dos bairros típicos de Lisboa onde ninguém falha a celebração dos santos populares.

Mini-Santos Populares (parte 1/2)

Todos os anos há uma festa na escola da B. onde as crianças preparam algumas apresentações  relacionadas com a aprendizagem no decorrer do ano lectivo. Este ano, para além das ocupações complementares foi preparado pelas crianças, com a supervisão das educadoras, um elaborado desfile de marchas populares. Todas as criações plásticas foram realizadas pelas próprias crianças, as fatiotas com a ajuda dos pais e as letras das marchas adaptadas (e muito bem) pelas educadoras. Só faltou a Avenida para que as crianças pudessem desfilar, mas o pátio da escola acabou por ser suficiente.

1 de julho de 2011

Old School e High Tech

As redes sociais têm destas coisas, e como tudo na tecnologia, podem ser bem ou mal utilizadas. No caso da malta da minha geração, desde que a (abençoada ou amaldiçoada, depende dos dias) Internet e o telemóvel se instalaram nas nossas vidas, tornou-se mais fácil não perder o contacto de pessoas que por um motivo ou por outro seguiram caminhos diferentes do nosso.
Hoje, enquanto ouvia música veio-me à ideia a sugestão de um ex-colega de uma loja de música onde trabalhei e do qual não sabia nada há mais de 15 anos. Num instante faz-se uma pesquisa no Youtube, vídeo encontrado e consequente publicação no Facebook com conhecimento para outros antigos colegas. Os Líderes da Nova Mensagem aka LNM voltavam a soar com referência a um colega muito boa onda que trabalhava connosco. Resultado: em menos de nada com uma breve troca de mensagens conseguimos voltar ao contacto com o Pio MC! Viva a rede cibernética!

29 de junho de 2011

Hard Times

 
Ele há música que se ajuste melhor aos tempos que se vivem?
Anda tudo virado do avesso, mas ao menos existem estes elixires para reconfortar o espírito. Mas cuidado: esta música pode criar adição, felizmente o risco de dependência não acarreta perigos para a saúde. O resto pode ser ouvido aqui nesta "nuvem de som" com excelente qualidade.

23 de junho de 2011

A relinchar pela cidade


No próximo fim-de-semana, nos dias 25 e 26 de Junho, o Núcleo 2cv Lisboa vai levar os Citroën 2cv pela praia e pelas ruas de Lisboa a fazer desviar os olhares e a arrancar sorrisos de todos os que veem passar. Há alguns (carros) que até relincham e assobiam em jeito de piropo às meninas que vão pela rua. É assim este carro: jovem, alegre, divertido e recomendado para todas as idades dos 18 aos 81.
No domingo, pela manhã, faremos uma breve paragem em frente ao Mosteiro dos Jerónimos e outra no Padrão dos Descobrimento, para exposição destas maravilhosas máquinas.

22 de junho de 2011

Parabéns!

A minha "xumiga" faz hoje 6 anos. É incrível como o tempo passa, nasceu e sem darmos conta já andava a gatinhar pela casa. Depois começou a comunicação, as primeiras palavras e de repente já domina as cantorias, intermináveis e alegres, como ela tem sido sempre, no seu modo "karaoke", como costumo dizer em tom de brincadeira. Como qualquer pai dirá, a minha filha é linda e é a melhor do mundo, mas esta é mesmo, pelo menos para mim. São 6 orgulhosos anos de vida cheios de peripécias, sustos, estórias, gargalhadas e umas birras pelo meio (há quem nunca as deixe) mais do que compensadas pelos seus mimos e observações hilariantes típicas de uma criança com esta idade.
É bom ser pai, mas é ainda melhor ter uma filha assim. Muitos parabéns "Xumiga"!

21 de junho de 2011

É Verão!

Chegou o Verão, quanto mais não fosse o calor participou em força na celebração da estação do ano que todos anseiam. Hoje será o dia do ano com mais horas de sol, a partir daqui inicia-se o processo inverso, inevitabilidades da natureza.
Mas enquanto isso não se nota é aproveitar o melhor que podemos, na companhia da família, dos amigos e de boa música como esta Stoops Parks & Rooftops. Viva o Verão!

15 de junho de 2011

Junho é uma agitação...


O mês de Junho acaba por ser sempre um mês de uma agitação tremenda, senão vejamos a sequência cronológica de eventos já decorridos ou em agenda: começou com o exame de Taekwondo da B., depois o 2.º Encontro Nacional de clubes 2cv, matrículas para a escola, aniversário da B., festa de aniversário da B. para os colegas da creche, festa de final de ano da creche, Arraial popular da creche, Jantar de "Finalistas" da creche, Aniversário do N2cvL (faço parte da organização). Acho que vou precisar de férias depois deste mês...

9 de junho de 2011

Momentos Redondos

No ano passado não tive possibilidade de marcar presença naquele que foi o 1.º Encontro Nacional de Clubes 2cv e Derivados em Portugal, que decorreu em Santarém, organizado pelo Cub 2cv/Dyane de Portugal.
Este ano, a segunda edição ruma a sul, para terras alentejanas, sob organização do Núcleo de Amigos 2cv/Dyane de Redondo entre os dias 9 e 12 de Junho. Se nada de inesperado acontecer, estarei presente durante o fim-de-semana, na expectativa de bons momentos na companhia de outros amigos entusiastas dos 2cv.

2 de junho de 2011

No comments

Apanhei uma notícia no site da RTP com esta informação:
"Cerca de 30% dos portugueses sofrem de perturbações mentais".

Depois na sondagem para as eleições divulgada há uns dias na comunicação social vejo:
"Sócrates recolhe 30% da preferência de voto dos Portugueses"

Será que existe uma relação entre as duas notícias!?

1 de junho de 2011

Dia da criança

Esta manhã, durante o pequeno-almoço, a B. disparou a pergunta:
"Pai, hoje como é dia da criança posso pedir uma coisa?"
(acabei por ficar sem saber o que queria) Vamos lá ver o que me reserva a tarde.

31 de maio de 2011

Pegasus

E assim foi, os (2) cavalos ganharam balanço na estrada e voaram até ao Museu do Ar em Sintra, para uma bela exposição, onde pudemos ficar a saber mais sobre a história da aviação no mundo e em Portugal.
Depois, fizemos escala no restaurante para testes mecânicos e, a meio da tarde, partimos todos com destino a casa, com a garantia de termos realizado uma agradável viagem.


29 de maio de 2011

PG Maio N2cvL - 29.05.11 - Museu do Ar

Esta manhã vão poder ver umas dezenas de 2cv, incluindo o meu, a rolar pelas estradas da grande Lisboa em direcção à Base Aérea de Sintra para visitar o Museu do Ar, onde vamos ficar a conhecer um pouco melhor a história da aviação portuguesa. Depois dou uma amostra de como foi.

28 de maio de 2011

Pontos Negros

Atenção nada de confusões, não vou falar de problemas cutâneos típicos dos muitos adolescentes que ontem partilharam a sala do Musicbox comigo, mas sim do "magnífico material (in)útil" que tive o prazer de ver e ouvir a noite passada. Três anos depois do concerto de apresentação, na mesma sala, em conjunto com Os Golpes, Os Pontos Negros apresentaram-se com um som (ainda) mais aperfeiçoado, tocando todos as músicas orelhudas dos dois álbuns já editados e ainda nos brindaram com uma música nova (cujo título se recusaram a revelar) e com a presença do Jorge Cruz, dos Diabo na Cruz, e do Camané num cover de "Esta Balada Que Te Dou". A captação de vídeo não é das melhores mas dá para ter uma ideia da forma como saiu esta versão.
video

26 de maio de 2011

On The Road Again

 

E o #13 depois de corrigir a sua faltosa lâmpada de médios,  que afinal não estava fundida, já retomou o direito de circular livremente pela estrada! Obrigado aos amigos (eles sabem quem são) que ajudaram a resolver o berbicacho! É este o espírito de quem tem um 2cv: ajudar os amigos enrascados ;)

24 de maio de 2011

Sobre (outras) rodas

É um haltere!? É uma soqueira!? É uma ferramenta!? Nada disso, é um simples eixo pedaleiro, específico para bicicletas de pinhão fixo, onde serão montados (finalmente) os braços de pedal da bicicleta que estou a construir.  O quadro, um Órbita, foi decapado e tratado por um amigo especialista na matéria, depois fui adquirindo material usado obtido através de contactos realizados num fórum especializado. Agora está tudo na Ciclone em fase de montagem. No prazo de uma semana as deslocações para o trabalho vão passar a ser mais ecológicas.

23 de maio de 2011

Quiosque do Refresco


No sábado, estava demasiado calor para a Beatriz andar de bicicleta e os parques não tinham a sombra necessária para não se torrar ao sol, até que me lembrei do Príncipe Real, tantas vezes repetido pela Time Out como o melhor bairro da capital. Se é o melhor não sei, mas no passado sábado foi decididamente a melhor escolha: parque infantil fresco, muito espaço para as brincadeiras da Beatriz e para terminar a nossa estreia nos renovados quiosques de Lisboa. Não tenho dúvidas, só a nossa capital tem estes pormenores únicos e apetecíveis para uma tarde quente: uma limonada bem fresca para animar o regresso a casa. Se o calor continuar, tenho quase a ceteza que voltamos lá na próxima semana. 

17 de maio de 2011

Clima tropical

Já não bastava este tempo estranho, a atirar para o tropical, como tinham de agendar a lavagem da garagem para hoje. Sendo uma semana de condicionamento parental fui obrigado a retirar, antecipadamente, o meu delicado 2cv da garagem. Resultado: depois de meses abrigado na garagem, protegido de todo o tipo de intempéries, hoje tinha de ser brindado com uma bela saraivada de granizo, que mais parecia um teste de impermeabilidade. Não gostei!

16 de maio de 2011

Dia da família

Hoje celebrei com um dia de atraso o Dia Mundial da Família. A festa esteve animada na creche da minha filha com muitas actividades que juntaram pais e filhos numa tarde diferente. Entre jogos tradicionais e modelagem a animação foi permanente.

13 de maio de 2011

#13

Pior do que ser Triscaidecafóbico é ser Parascavedecatriafóbico. Eu explico, pior do que ter fobia ao número 13, é ter fobia à sexta-feira 13. Sinceramente, não percebo... a sexta-feira parece-me sempre o pronúncio de uma coisa boa: fim-de-semana, ou seja, dois dias para descansar e estar com a família ou os amigos. Querem melhor? Depois, qual é o perigo de juntar o número 1 com o número 3!? E se for 31, também é "perigoso"!?
Sou de tal forma "anti-superstição" que nos passeios de 2cv em que participo tento sempre inscrever-me com o número 13. Até hoje, ainda não notei que isso tenha trazido alguma complicação.
Parascavedecatriafóbicos, ficam desde já avisados, no dia 13 de Janeiro de 2012, não saiam de casa!

10 de maio de 2011

Em tempo de crise...


Agora com a entrada do FMI, mais do que nunca, um dinheirinho extra dá sempre jeito. Mas, ao contrário do Aloe não cobro nada por partilhar as minhas estórias. Apareçam e comentem.