31 de maio de 2011

Pegasus

E assim foi, os (2) cavalos ganharam balanço na estrada e voaram até ao Museu do Ar em Sintra, para uma bela exposição, onde pudemos ficar a saber mais sobre a história da aviação no mundo e em Portugal.
Depois, fizemos escala no restaurante para testes mecânicos e, a meio da tarde, partimos todos com destino a casa, com a garantia de termos realizado uma agradável viagem.


29 de maio de 2011

PG Maio N2cvL - 29.05.11 - Museu do Ar

Esta manhã vão poder ver umas dezenas de 2cv, incluindo o meu, a rolar pelas estradas da grande Lisboa em direcção à Base Aérea de Sintra para visitar o Museu do Ar, onde vamos ficar a conhecer um pouco melhor a história da aviação portuguesa. Depois dou uma amostra de como foi.

28 de maio de 2011

Pontos Negros

Atenção nada de confusões, não vou falar de problemas cutâneos típicos dos muitos adolescentes que ontem partilharam a sala do Musicbox comigo, mas sim do "magnífico material (in)útil" que tive o prazer de ver e ouvir a noite passada. Três anos depois do concerto de apresentação, na mesma sala, em conjunto com Os Golpes, Os Pontos Negros apresentaram-se com um som (ainda) mais aperfeiçoado, tocando todos as músicas orelhudas dos dois álbuns já editados e ainda nos brindaram com uma música nova (cujo título se recusaram a revelar) e com a presença do Jorge Cruz, dos Diabo na Cruz, e do Camané num cover de "Esta Balada Que Te Dou". A captação de vídeo não é das melhores mas dá para ter uma ideia da forma como saiu esta versão.
video

26 de maio de 2011

On The Road Again

 

E o #13 depois de corrigir a sua faltosa lâmpada de médios,  que afinal não estava fundida, já retomou o direito de circular livremente pela estrada! Obrigado aos amigos (eles sabem quem são) que ajudaram a resolver o berbicacho! É este o espírito de quem tem um 2cv: ajudar os amigos enrascados ;)

24 de maio de 2011

Sobre (outras) rodas

É um haltere!? É uma soqueira!? É uma ferramenta!? Nada disso, é um simples eixo pedaleiro, específico para bicicletas de pinhão fixo, onde serão montados (finalmente) os braços de pedal da bicicleta que estou a construir.  O quadro, um Órbita, foi decapado e tratado por um amigo especialista na matéria, depois fui adquirindo material usado obtido através de contactos realizados num fórum especializado. Agora está tudo na Ciclone em fase de montagem. No prazo de uma semana as deslocações para o trabalho vão passar a ser mais ecológicas.

23 de maio de 2011

Quiosque do Refresco


No sábado, estava demasiado calor para a Beatriz andar de bicicleta e os parques não tinham a sombra necessária para não se torrar ao sol, até que me lembrei do Príncipe Real, tantas vezes repetido pela Time Out como o melhor bairro da capital. Se é o melhor não sei, mas no passado sábado foi decididamente a melhor escolha: parque infantil fresco, muito espaço para as brincadeiras da Beatriz e para terminar a nossa estreia nos renovados quiosques de Lisboa. Não tenho dúvidas, só a nossa capital tem estes pormenores únicos e apetecíveis para uma tarde quente: uma limonada bem fresca para animar o regresso a casa. Se o calor continuar, tenho quase a ceteza que voltamos lá na próxima semana. 

17 de maio de 2011

Clima tropical

Já não bastava este tempo estranho, a atirar para o tropical, como tinham de agendar a lavagem da garagem para hoje. Sendo uma semana de condicionamento parental fui obrigado a retirar, antecipadamente, o meu delicado 2cv da garagem. Resultado: depois de meses abrigado na garagem, protegido de todo o tipo de intempéries, hoje tinha de ser brindado com uma bela saraivada de granizo, que mais parecia um teste de impermeabilidade. Não gostei!

16 de maio de 2011

Dia da família

Hoje celebrei com um dia de atraso o Dia Mundial da Família. A festa esteve animada na creche da minha filha com muitas actividades que juntaram pais e filhos numa tarde diferente. Entre jogos tradicionais e modelagem a animação foi permanente.

13 de maio de 2011

#13

Pior do que ser Triscaidecafóbico é ser Parascavedecatriafóbico. Eu explico, pior do que ter fobia ao número 13, é ter fobia à sexta-feira 13. Sinceramente, não percebo... a sexta-feira parece-me sempre o pronúncio de uma coisa boa: fim-de-semana, ou seja, dois dias para descansar e estar com a família ou os amigos. Querem melhor? Depois, qual é o perigo de juntar o número 1 com o número 3!? E se for 31, também é "perigoso"!?
Sou de tal forma "anti-superstição" que nos passeios de 2cv em que participo tento sempre inscrever-me com o número 13. Até hoje, ainda não notei que isso tenha trazido alguma complicação.
Parascavedecatriafóbicos, ficam desde já avisados, no dia 13 de Janeiro de 2012, não saiam de casa!

10 de maio de 2011

Em tempo de crise...


Agora com a entrada do FMI, mais do que nunca, um dinheirinho extra dá sempre jeito. Mas, ao contrário do Aloe não cobro nada por partilhar as minhas estórias. Apareçam e comentem.